O último Tang em Paris

Na Lisboa do Pessoa
O Azul do céu é demais,
O céu que acorda as gaivotas
Na beleza do Cascais

A lua de Albufeirinha
Prateia os ramos de um ninho
Tanto no Cerro da águia
Quanto o lar do Marcelinho

Sevilha ficou pra traz
O trem que a história perdeu
Málaga, Alhambra e Granada,
Reencontro nas mãos de Deus

Madrid, a Plaza Mayor!
Bailarina, castanhola.
E a sangria desatada
Na tourada espanhola

Barcelona, bicicleta.
Elizabeth e Paulinho
Santa Sagrada Família
Beijo e abraço de carinho.

A Paris deslumbra os olhos
Numa torre iluminada,
Já é tempo de partir
Au revoir, gurizada!

Merci Zéza, Camargo (Gaúcho), Claudia, Xinico, Vini, Montanha, Rico, Léo, Dinga, Paulão, João, Inês, Baiano, Paulinho, Elizabeth, Viviane, Ana, Cristiano, Catalina, Alexandra e todos os Anjos. Muchas gracias Deus do céu!
Beijos.
Pirisca, Déco e Neguinho.

Vive la France!

Che…depois da tourada encontramos o Paulinho Lemos e a Viviane Godoy que estavam fazendo, aquele mesmo boteco que toquei na sexta. Jantamos juntos, fechamos o bar, tomamos a(s) saideira(s) na Plaça Reial, dormimos pouquíssimo, pegamos o avião pra Paris, cedíssimo, e cá tamos nós. Graças a Deus. Rica viagem, tudo tranquilo, um avião pequeno, de uma companhia “low coast” chamada Easyjet. Show de bola. Enquanto isso só notícias boas aí do Brasil. Vamo chegá rachando as costas na Coxilha, Guyanuba e Moenda. O Filme da “Macacada” que eu assino a trilha, selecionado pro Festival de Cinema de Gramado. Site NO AR www.pirisca.com. Ainda por cima o CD novo (COMPARSA ELETRICA), chegou antes que eu e já está nas lojas. Que beleza. Obrigado meu Deus!

A tourada é um espetáculo. Mas divide opiniõies lá na Espanha. Acredito que por ser uma tradição muito forte, jamais acabará. Mas, muita gente diz que está no fim. Estivemos com amigos brasileiros após o evento e a discussão veio a tona. Todos fazem campanha para que termine. Mas são Cariocas, baianos, outras regiões do País. Me identifiquei muito com as pilchas, os cavalos, a valentia do toureiro. Um jovem francês deu um verdadeiro show na Plaza Monumental de Barcelona. E além do mais, sou tarado por churrasco. A discussão foi longe mas, como diz o Cabo Déco: “- Normalmente matam a rês com uma paulada, pelo menos aqui o touro tem uma chance”. Foi lindo. Saimos satisfeitos, como gauchos e como turistas. Vá que seja a última tourada da hístória!?! No crêo!

Agora a Tour mudou de figura. Paris é uma loucura. Em todos os sentidos. A cidade mais linda que visitamos, sem sombra de dúvida. Apesar da dificuldade do idioma, todos nos trataram de uma forma muito carinhosa. A senhora que nos deu informação no aeroporto, o taxista, o porteiro do hotel, o turco que veio nos filá cigarro, a guria do baguete, o policial do museu, todos nos deram informações corretas e não pouparam esforços para se fazer entender. Nosso francês é zero. O Neguinho arranha um ingles. É o “poligrota” da turma. Mesmo assim, tá dando tudo certo, graças a Deus.

SEINE (o velho Rio Sena de guerra)

MUSÉE DU LOUVRE (fora de série, a Monalisa tá lá)

…mas Me Analisa!?!

AVENUE DES CHAMPS ELYSEES

Uma Viagem!

ARC DE TRIOMPHE DE L’ÉTOILE

TOUR EIFFEL

FELIZ DIA DO AMIGO!

E VIVA LA FRANCE.
———————————-
E é isso gurizada, amanhã é o nosso último dia no estrangeiro, graças a Deus!!! Tô loco de saudade, da família, dos amigos, de fazê um som, comê uma carne, tomá um mate, uma céva beeem gelada (que por aquí é raro), fumá um free azul e loco pra pegar na mão o Cd novo.
—————————–
Brigadão pela parceria, todos esses dias, os comentários fizeram com que nós amenizássemos a saudade, que é enorme. Não sei se farei outro post aqui da europa, pois não temos internet aqui no hotel. Estou filando um risquinho de uma rede chamada “touroloco” que caiu do céu para que pudesse contar da França.
Amanhã tamo free, tá visto. Vou tentar fazer um vídeo por aqui com a guitarra nova. Apesar de estar apanhando de relho do youtube. Tamo em contato. Beijo grande, saudade maior ainda. Fiquem com Deus e gracias pela força, pela atenção, pela oração. Tamo chegando quarta em Poa e quinta em Uruguaiana, se Deus quiser.

Fiquem com Deus que a gente vai daqui com Ele, sempre.
Fuuuuuuuuuuuuuuuui!

BikeTour


Báh gurizada, tá caindo a ficha. A cidade é deslumbrante e a nossa anfitriã, um doce. Nos mostrou a cidade, nos proporcionou um exercício maravilhoso, divertido e cultural, e não nos deixou pagar um centavo. Muchas gracias Elisabeth. Paulinho, um beijo no teu coração, obrigado pela acolhida e todo o sucesso do mundo meu irmão. Vocês formam um casal incrível.

Plaza Reial (de noite isso é um inferno)

Sagrada Família (de embaçá os rayban)

Casa Milá, conhecida também como La Pedrera (Lutero, não apareceu pro mate. Umaaaaaaaaaa!)

Casa Batlô (a minha preferida)
——————————————
Passamos na Vila Olímpica, no Porto (velho e novo) e, um monte de outros lugares. Todos grandiosos e com uma história bonita que não tem como contar aqui. Só vendo, conhecendo e estudando essa cidade fantástica que é Barcelona.

Tamo indo metê uma bóia, amanhã se falamo. Hoje aqui é “Dia do Bairro”, algo assim. Tem palcos montados de 2 em 2 quadras. Uma loucura. Essa cidade respira música. Tamo de passe comprado pra Paris, segunda feira de manhã. Tamo na reta final da Tour. Amanhã vamo curti a praia de Barcelona e, se der tempo, uma Tourada as 6 da tarde.
Falemo gurizada. Tukaninho acabou conosco com o soneto de hoje. Bejo grande meu irmão…saudade!!!
Tchau e gracias…

Barça


Chegamo gurizada…na correria, segunda embarcaremos para Paris, temos que correr. Ontem o Duca me avisou que a cantora gaúcha Adriana Defenti, estava aqui para um concerto. Fui lá dar um beijo nela e desejar sorte. Não pude ficar para o show mas, valeu. Importante saber que a gauchada tá mostrando a cara pelo mundo. Corri até um boteco onde o Paulinho Lemos tava tocando. Levei o pandeiro e me cololquei na guig. Conheci duas cantoras brasileiras: Viviane Godoy, de Curitiba, que vive em Barcelona e Ana Beck, carioca, filha de gaúcho, que vive em Amsterdan. Cantora e corre as otras. Que beleza. Tive o prazer de conhecer também o Paolo, um italiano que fabrica os cajons DG (De Gregorio), baita percussa.

No mas é isso, estamos saindo para um passeio de bike para conhecer a obra do Gaudi. Nossa guia é a esposa do Paulinho. Vambora que tá na hora. Na volta conto mais.
Beijos e comentem.

Falta pouco! Eu diria, só um “CO”.
Fui!

Largando pra fronteira


Adeus Albufeirinha querida. Valeu Marcelinho, pelo poso e o mate, o carreteiro e a canja, o calor e a gelada, pela amizade e parceria de sempre. Te espero no nosso Rio Grande pra, quem sabe, poder retribuir um pouco o cuidado e atenção que dispensaste a esses amigos, marinheiros de primeira viagem. Muchas gracias Irmão!


Enfim deixei Portugal. Depois de muita negociação, consegui fazer com que a Xiruzada me trouxesse de carro pra Sevilla. Rico no comando do “potrex”, eu na poltrona 2, atrás, Léo e Vini. Cruzando a fronteira já tomamos um atraque, fortíssimo. Policia espanhola armada e mal educada até os dentes, procurando drogas ou explosivos, sei lá, cachorro cheirando a mala do carro, clima tenso. Inda bem que o cusco não inventou de cheirar minha cueca, se não, já viu né!?!. Tudo beleza…graças a Deus…carro, documentos, passaportes…limpeza total…vambora! Chegamos tipo, 8 da noite em Sevilha. Descobrimos um Hostal que os guris já haviam parado, deixamo as bagagens e o carro e se tocamo pro bairro Triana, mais precisamente no bar da Anselma…ali em frente ao Bingo, bem como o Paulinho (Lemos) me disse. A cena era boa. Na onda do Solar dos Câmara. Muito parecido, porém, unplugged. Na carne viva mesmo. Neguinho metendo os dedo e rachando as costa. Foi lindo. Deu pra curtir um flamenco de raiz. Seguimos caminhando pelo bairro e cruzamos por mais dois ou três bares com música flamenca, mas era uma gurizada tocando. Mais play e menos roots. Na Florida, ao lado do Hostal San Francisco, tem um bar que fica aberto 24h, segundo o Vini é o único de Sevilla que fica toda noite aberto(azá Bagé veio). Bueno, matamo a larica e cama.

Isso aqui ta com cara de DIÁRIO porque a viagem é longa e tem tomada no banco do trem. Aqui são 3 e 15 da matina, menos 5h aí no Brasil. É cedo! Vou chegar lá pelas 7 e pico em Barcelona pra encontrar o Deco e o Negão…o pior é que nem mate temo…putz…

Bueno, deixa eu contar pra vocês que assim que fiquei sozinho na Tour, comecei a fazê cagada.
A Xiruzada me deixou na estação de trem em Sevilla, cheio de muchila (ué?), cheguei no guichê, que eu não entendi até agora como eles chamam, e pedi uma passagem para Barcelona. Bem tranqüilo. Caríssimo! Mas, bem tranqüilo. Eu achei que em Portugal os cara falavam ligeiro mas, aqui, meu amigo, é terrível. Fernando Alonso passa vergonha. E não é apenas rapidíssimo que esses castija falam, mas o que é pior, é só no médio. É, sabe aquele som de corneta? Lembra da Jubiraca? É naquele clima. Os cara não vem com tweeter aqui não rapá. Que horror! Concluindo o raciocínio. Muito atento a todas as informações da passagem, li no meu bilhete “Plaza 9ª”. Aí o bicho pegou. Fui uma hora antes pra plataforma 9, ou Box 9, como é na rodoviária de Uruguaiana (na verdade é Bóquês), e nada do trem bala. “Mierda-carajo”, foi a única palavra do dicionário Sevilhano que aprendi, que deve significar um monte de coisas, porque é só o que se fala por aqui. Bueno, na verdade descobri outra palavra pro meu dicionário: PLAZA é a poltrona do trem e não o maldito bóquês! Não preciso dizer que perdi o trem. Bota mirim nisso. Praticamente assinei com o Albino. Que cagada Che! Me deu vontade de chorá, mas eu matei no peito e disse a palavra mágica. “Mierda-carajo”! Contei minha história pra policia, pra balconista, guia turístico, pro gari, olha…foi tanta coisa triste em espanhol que acho que compus um tango.

Por fim, passei mais um dia em Sevilha e consegui uma passagem por 20% do valor da outra. Não foi de todo mal. Perdi um trem-bala que faz o trecho em 6 horas e nesse momento estou viajando num trem-hotel, com restaurante, cama, TV, mas que faz Sevilha/Barça em 11 horas.
——————————————————–

Así és la cosa!
Daqui a pouco já to junto com a gurizada, vamo virá esse jogo e revirá Barcelona do avesso. Mierda-carajo!!!

Abraço, beijo e muita, mas muita saudade mesmo. Tem wireless no hotel em Barça. É sinal de blog atualizado. Comentem, mandem abraço, nem que seja pro Neguinho. Fui…

Próximo capítulo: Barcelona (cheguei bem, graças a Deus, tamo junto)

Dicionário Burdugueix – Português

Aí vão, algumas palavras e expressões captadas durante essa passagem pelo Algarve, levando a dura vidinha de turista em Portugal. Totalmente em ordem analfabética, tá!?!
………………………………………..
Imperial = chopp
Bica = cafézinho
Tens lume? = tens fogo?
Durex = camisinha, preservativo, camisa de Vênus, um poncho pro gaúcho
Puto = Guri. Não quer dizer que todo o guri aqui em Portugal seja um baita pppppppppppppppppppppppppppppppppppppuu! Qué dizê!?!
Bicha = Fila. Essa é velha
Paneleiro = Bicha ou Puto. Essa é nova, mas também pode ser uma Bicha Velha.
Loiça = louça
Gajas = as loça
Cueca =calcinha. (Ex.: Maria ensopou a cueca = Maria molhou a tanga)
É fiche = é bom.
Muito fiche = tri bom
Caráças = “caraca meu” ou “báh duca…”
Constipado = gripado
Gripado = motor fundido
As melgas estão a picar = os musquito tão me charqueando
Malta = povo, gente, galera
Alcatifa = tapete (essa é indispensável para bateristas brasileiros)
Alejei-me = me machuquei
Fumo = fumaça
Passadeira = faixa de segurança
Passeio = calçada
Telemóvel = celú
Calças de ganga = calça de brim
Porreiro = a fú. (Ex.: Eta gajo porreiro o pá = esse muleque é foda)
Anda lá = bótale todo
Um quarto pras duas = 13:45h ou “uma suíte pro casal de bibas inglesas “
Lima = limão
Limão = lima

Acho que essas duas últimas nem precisava. Bj e até!

Meu amigo Monstro

Não rolou o vídeo do Marcelinho….fiz o upload 3 vezes e não encontro no youtube. Mas achei um video da Xiruzada: Paulinho, Paulão, Rico, Léo e Dinga. Taí a parceria de churrasco.
Dá uma olhada e vamo falando.
Fui