Trio Elétrico

Domingo é o dia do churrasco com os amigos, passear na Expointer, fazer um som, deuzulivre uma polar.

Domingo foi o dia do Seu Teixeira.
O chofér do carrinho elétrico do Banrisul, que nos deu uma carona do portão “setecientos” até o Boulevard Polar.

Que Maravilha encontrar o Zé na 10.

Acabou em churrasco, passeio, som e uma(s) polar. Ué?

Abaixo um retrato, sacado pelo Felipe da Central de Bandas, produtor do nosso evento dominical.

Sol, calor, gente alegre e CD’s a venda no estojo do violino.

Tamo aprendendo a viver da Arte.

Graças a Deus!

Na boa, o Hino do Rio Grande foi de afogar a samba-canção.
Foi de final de Copa.
É só ensaiar.

Photobucket

“Povo que não tem virtude acaba por ser escravo”

Pude entregar na mão do Marco Aurélio Vasconcelos o CD novo.
O Marco é um marco.
Disse que vai mandar um tema pra Califa pra cantar comigo.
Tu tá entendendo?
Em 1972, eu tava recém saindo de pelotas e o cara já tinha música na Califórrrrrrrrrrrrrrr.

Bj.
Tamo online.

Super Mouse

O Dudu garantiu a blogada com o “Mobile Partner”.
Um ratón USB que conecta de qualquer lugar do mundo rrrrrrrrrr.
Aliás, quem é a Néte?

Photobucket

O bicho pegou no palcão da Expointer.
Baita som, camarins com “ques-quês-ques”, e nos deixaram até entrar de carro esse ano. Que momento!
Só o cachê é pra 60 dias mas, isso não tem a menor importância, né turma?

Photobucket

Bamo Comparsa!!!

Baita show, graças a Deus.
Valeu Texo, Paulinho, Dudu, Tio Rafa. Tamo no caminho.
Pena que o “Selvage” não pode dar uma canja conosco por problemas pessoais mas, é Expointer…e ainda vai passar muito cavalo encilhado.

Photobucket

Galera, chorei pros comentários. E a energia de vocês já fez nosso telefone tocar.
O Dudu passou obra no Festival do Alegrete e fechou um Show em Farroupilha dia 16.
Tô orelhando um Pantâno Grande no fim do mes. Deus é Pai.
Um beijo Mãe.

Bamo Comparsa!!!!!!!!!!!!!!!

Expointer

Muchas gracias Deus do céu por ter me dado esse dom! (GT)

Photobucket

Cabo Déco e Tio César. Que baita parceria. Pontualidade britânica. Foi uma viajem e tanto. Saímos de Uruguaiana rumo a Livramento para deixar a Mana (que foi ministrar uma palestra para radialistas), a Babá e a simpaticíssima Gabriela. Depois seguimos rumo a Capital porém, os três falando “gutiguducotico”. Fomos abandonar o sotaque infantil passando Pantâno.

Ah, deixei dois CDs pro Timóteo da Rádio Salamanca de Quarai. Promessa é dívida. Vamo orelhá esse show.

Photobucket

Alguma estrada, pouco cigarro e muita coversa de fundamento.
Gracias Tio César mas, será que por Pelotas não é mais perto???

Photobucket

Aí está a Comparsa Elétrica em cena. Gracias Müller pelas fotos, pela carona, pelo estrogonofe, enfim. Acho que a minha comadre vai virar um capítulo. Ufa!

Falá nisso, hoje é sabado e o quarteto do Texo, o M’Bareté, tá tocando. Vô dá um pulo lá e assiná a gravação desse CD. Tá na hora.

Olha o RécoRecord aí Gente!!!
Fui…

Onde é que eu assino?

Não tem como a casa da gente. Putz!
Fiz as contas. Foram 20 dias longe.

Não sei o que me assusta mais.
Se é o fato de ter passado apenas 5 dias do mes de Agosto em casa.
Ou passar o Setembro todo sem viajar.

Há uma enorme saudade…de tudo que é meu.
Mas existe também a obrigação de um chefe de Famíia. A panela tem que ferver.

Cada vez que olho para a minha agenda de Setembro…não sei o que pensar.
Ou melhor…penso em Deus!

“O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará.” E ponto.

Não sei se foi a crise mundial ou a gripe suína, mas…não tenho nada agendado para o mes do Gaúcho.

Talvez tenha sido o tênis Nike no Tulio Piva ou a calça jeans no Estância de São Pedro.

É verdade…começo a me dar conta que a Comparsa Elétrica tá mais pra Stones que pra Marupiaras.

Não dá nada. Tenho a banda que sonhei! E digo mais. Vô de Guitarra pra Expointer. Que apodrêça!!!

Junto a mi casa hay un rio que lleva todo el dolor.

Rolou uma entrevista para o Jornal do Almoço e também gravei um lance pro Faustão. Aquelas coisas de dialetos regionais. Sobre o “cusco”. Vamo torcê que vá ao ar!
Ninguém gosta daquele gordo mas, todo mundo quer aparecer.

Deu tempo de colocar voz num tema do Flavinho Saldanha pra Califa (será que sai?)
Gravei no “Mata Olho”. Estúdio do Maurício, filho do Cléber Soares, irmão do Brodinho. Só faltou o matambre Tia Cirlei !!!

Deixei mais alguns CDs no Empório XV e arrumei a internet pras gurias aqui em casa. Amanhã quero jantar com a Julia. Se Deus quiser!

Vô nessa galera. To pronto, de mala, cuia e guitarra, esperando a carona do Tio César Tasso pra Esteio.

Semana que vem to de volta a Uruguaiana e, pensando bem, quem sabe não seja hora de dar um carinho pra Família. Tomar uns mates com a Dona Iná. Terminar de uma vez esse CD do Cabo Déco.

É mesmo…Setembro vai ser ducaralho…Minha cidade é maravilhosa!!!

URUGUAIANAAAAAAAAAA