NA PAZ E NA DOR

(de Carlos Omar Villela Gomes)

“No começo não te vi…
Talvez surgindo do nada
Por uma trilha encantada
Aos poucos apareci.
Flutuei num berço quente,
Num mundo dentro de ti…
Ventre de paz, simplesmente,
Até que um dia, nasci.

Chorei meu primeiro pranto,
Respirei meu próprio ar…
Me alimentei no teu seio,
Me aconcheguei no teu lar.
Abri meus olhos pra vida,
Pleno de luz e esperança…
Te vi mãe, anjo da guarda,
Com meu olhar de criança.

Te vi avó, protetora,
Com nossos planos secretos…
Talvez um doce escondido
Pra o meu sorriso de neto.
A vida seguiu de manso,
Me levaste pela mão…
Até que, não mais criança,
Um dia te vi paixão.

E quantas vezes te vi
Sob um olhar encantado…
Num rosto doce de moça
Te vi ternura e pecado.
E quantas vezes senti
E escrevi no papel,
Que nos teus olhos eu vi
Um anjo longe do céu.

Te vi em forma de um sonho
De sonhar a vida inteira…
Trocamos almas e alianças,
Então te vi companheira.
E te abracei mansamente
Pela mais linda das trilhas,
Até que um dia de inverno
Te vi em forma de filha.

O tempo encurta os caminhos
Com suas asas abertas…
Até que um dia, velhinho,
Te vi num rosto de neta.
Te vi com vários olhares,
Te vi na paz e na dor…
Mas sempre te vi mulher,
Mas sempre te vi amor!”

______________________________________

Homenagem do BLÓGUE a todas as mulheres do planeta.

Anúncios

Uma resposta em “NA PAZ E NA DOR

  1. Oláa!
    Sinto-me lisonjeada com a homenagem…
    Muitíssimas gracias pela sensibilidade…

    Fique com o Patrão Velho!

    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s