na telinha

Senhoras e Senhores: La Comparsa Eletrica.
Clique e assista a performance da Banda no Galpão Nativo:

Abaixo, um PrintScreen do twitter com todas as dicas, acompanhe!


Muchas Gracias Cachú, Maria e competentíssima Equipe da TVE.
Uma honra fazer um som no Galpão Leopoldo Rassier.
#AdelanteComparsa

GRECCO

¿a dónde vas?

Clique no chamarisco pro clipe do Pirisca



dia 02 de maio no canal 20 de Net Uruguaiana,
estreia nosso Vídeo Clipe gravado aqui no Velho Oeste.
Depois, o Santo de Casa deverá cair na rede mas,
até lá…quero desejar:

Boa Sorte ao Felipe Kotz !
Dizer Muchas Gracias pro Batata !!
E Adelante Uruguaiana !!!

Um beijo a Todos.
GRECCO

SangSongs

“O Sol, a Terra e a Lua”
(Rodrigo Bauer e Pirisca Grecco)



Existem muitas boleadeiras silenciadas
pelos museus, junto as lareiras, nos galpões
já não viajam pelos céus dessas canhadas
buscando o tombo dos alçados e fujões

Mas quando eu olho para o céu, a poesia
encontra imagens e boleia para o verso
e eu me dou conta de que, além das tres marias
existe outra boleadeira no universo

Pedras gigantes para sempre acolheradas
buscando o espaço em permanente rotação
foram das mãos do Deus Pampeano arremeçadas
ao vôo eterno e atemporal da criação

O sol, a terra e a lua aos olhos de Galileu
a boleadeira charrua rodando nas mãos de Deus

Uma das pedras é de fogo contruída
brilha com a força de um candeeiro desigual
que acende a chama na galáxia estendida
tal fosse a pampa o próprio espaço sideral

Tem a manicla que é a menor dessas tres pedras
reflete a luz em seu retovo cor de prata
boleia a noite que pressente a própria queda
quando no cosmo a boleadeira se desata

Na outra pedra que viaja retovada
por água e terra o vento baila em escarcéu
a vida teima em perpetuarse renovada
e o homem sonha quando olha para o céu.

Fiquem com Deus!
GRECCO

tema novo



Coisa boa é viajar, conhecer pessoas e lugares.
Mas, por mais longe que se ande, bom mesmo é voltar,
matar a saudade e poder contar nossas aventuras.

Fiz essa música depois de uma gira pela Europa,
inspirado nos lugares incríveis onde andei e nos olhos de quem ficou.

De lá pra cá, a canção passou por alguns ajustes no idioma,
com a preciosa monitoração do Compadre Miguel Tejera e só agora tomou forma sonora.

E, para o começo de Maio, será mostrada na TV a partir da iniciativa
do Amigo Felipe Kotz que estreia o “Santo de Casa” no canal 20 da NET Uruguaiana.


No link abaixo, o trem perdido em Sevilla.
https://pirisca.wordpress.com/2009/07/17/largando-pra-fronteira/

Adelante!
GRECCO

Segundo

Mirem, foto e trecho da matéria do Barranqueiro Roger Lerina
publicado no Segundo Caderno da Zero Hora em 01/04/13.


“Neste ano, o mote proposto foi “descendência” – 30 canções foram inscritas, sendo 27 apresentadas no palco montado sob um galpão. A vencedora foi Semente, interpretada pelo cantor, compositor e violonista Mário Barbará, veterano de 27 edições de Barranca, e pelo violonista Apparicio Silva Rillo Neto. Como nas tertúlias que se realizam espontaneamente nos quatro dias entre as barracas e no palco, a gincana para compor um tema em apenas um dia promove parcerias que ultrapassam diferenças de idade, de estilo e de origem. Calejados barranqueiros como o cantor, compositor e gaiteiro Luiz Carlos Borges – detentor do recorde de 37 horas tocando sem parar em uma edição passada do festival – e o fenômeno do violão Yamandu Costa tocaram na cidade de lona ao lado de novatos como o músico argentino Pablo Grinjot.

– Isto aqui é uma coisa inacreditável – disse o portenho, entusiasmado com o Woodstock gaudério.

Já definida pelo compositor e poeta Sergio “Jacaré” Metz como “um comício de espíritos”, a Barranca segue fiel à ideia congregadora de seus fundadores.

– Foi uma das melhores edições dos últimos anos, em que as pessoas puderam estar mais próximas do abraço. Foi uma Barranca mais humana – resumiu o Angüera Marco Antônio Loguércio.

OS VENCEDORES:
> Troféu Apparicio Silva Rillo (primeiro lugar) e Troféu Sergio “Jacaré” Metz (melhor letra): Semente, de José Fernando Gonzalez e Mário Barbará
> Segundo lugar: Outros no Mesmo Lugar, de Rafael Ovídio, Zelito e Pirisca Grecco
> Terceiro lugar: Los Mesmos, de Carlos Cachoeira e Chicão Dornelles
> Troféu Quá Quá (música humorística): De Sepé Até a Barranca, de Elton Saldanha, Tadeu Martins e José Atanásio Borges Pinto”


Acima, a Banda da Portelinha que defendeu três temas nesta 42ª Barranca:
Cabo Déco, Tulio, Ultra, Pablo, Pedro Rimas, Zelito, Lukeko, Bebé, Pirisca y Tejera.

Abaixo, a LETRA da composição classificada em 2º Lugar:

OUTROS NO MESMO LUGAR
(Cabo Déco/Zelito/Pirisca)

“Arvore de boa raiz
O fio do tempo não tomba…
Nos galhos – traços de filhos –
Na anatomia da sombra…

Gota de sangue nas folhas
– Gene de terna esperança –
Fica o rascunho do avô
No rosto da bela criança…

Na silhueta da vida
Segue a sombra do pai
E o som de sábios conselhos
Que o tempo não cala…jamais !!!

Nos ditados do mundo
A fruta cai perto do pé…
Seja em Londres, Florença,
Veneza ou no M’Bororé…

Nas artérias das copas
Galhos hão de brotar.
Sombra de pai para filho…
Outros no mesmo lugar”

Nos links abaixo, outros Posts sobre o Festival da Barranca:

https://pirisca.wordpress.com/2010/04/07/rodacanto/

https://pirisca.wordpress.com/2010/03/21/lua-cheia/

Forte abraço e Feliz Páscoa!
GRECCO

Primeiro

No último final de semana de Março rolou a 19ª RECULUTA DA CANÇÃO CRIOULA
na bonita cidade de Guaíba, cerca de 30 Km da Capital do Rio Grande do Sul.

Tive o privilegio de interpretar a Melhor Melodia e Melhor Letra do Festival.

Ao lado dos incríveis Rodrigo Maia (Baixo Acústico), Gustavo Oliveira (violão),
Juliano Gomes (Guitarron) e Fabianinho Torres (Cordeona).

CORDEONA
LETRA: Rafael Machado / MÚSICA: Juliano Gomes

“Sonoridade pampeana das noites de pulperia,
Melodiosa liturgia das orações campechanas.
Quantas ânsias redomonas ocultas – fiel companheira
Em teu corpo de madeira, em tua alma – cordeona?

Foste a escola primeira dos meus tempos de guri,
E contigo é que aprendi falar de outra maneira.
Por isso quando a garganta teima guardar seus segredos
És tu – ao toque dos dedos – minha cordeona quem canta!

Guarda em tua ressonância no olhar gêmeo das hileras,
O vai e vem das basteiras pelos confins das estâncias.
E o extrato galponeiro de uma infância à moda antiga
De quem por ti – velha amiga – um dia se fez: gaiteiro!

Quando contigo nos braços cordeona, minha parceira:
Sinto que a tua maneira compreendes tudo que faço;
E no calor deste abraço (misto de encanto e ternura)
Percebo que és a cura, pra todos os meus cansaços”


Confira os VENCEDORES clicando AQUI:

Bem vindo Rafael, que Deus te conserve talentoso e humilde.
Muchas Gracias Juliano pela confiança e oportunidade.
Espero em breve, poder dividir o palco com os Amigos novamente.
E Viva os Festivais do Rio Grande !!

Adelante…
GRECCO