O CD Zero

Era virada do Século…
Nós éramos amigos. Escrevíamos muito e nos tornamos exímios pescadores de melodias que pairavam pelo ar. A intensidade daquele final dos anos 90 formou uma parceria, um repertório, um desejo de “colocar na mesa” nossas idéias…novas idéias. Por alguns anos encaramos a rigorosidade das Triagens dos Festivais de Música Nativa, produzindo, gravando e inscrevendo sem lograr êxito. Foram muitos NÃOS. Na época não tínhamos o Facebook para xingar os colegas, Jornalistas, culpar o Sistema, enfim, TERCEIRIZAR o nosso fracasso. Só nos restou compilar as “obras” (até porque ninguém compõe uma musiquinha. É OBRA, Gurizin) e disponibilizar aos Amigos em forma de CD. Já que os PC’s e Home Studios chegariam de vez apara facilitar nossas vidas. No “itautec da firma” juntamos 13 músicas que estavam entre MD’s e fitas K7 e que, logicamente, nunca haviam “passado” nos tão sonhados Festivais e reproduzimos 200 peças no Shirmer/Santa Maria. Lançamos numa noite linda em 17 de outubro de 2001 na Portezuelo/Uruguaiana. E assim surgiu aquele que chamamos hoje de CD Zero:

O nome é um verso do “Sumo de Mim” e a capa é a partir de uma foto sacada pelo primo Niko, numa marcação no Adolf Stern. No lombo desse “ex-touro” vem o Cabo Grecco. E o PirisKa com K, na capa, foi antes do eclipse.

Bueno…
Está na rede para download. É nosso.
Clic AQUI e baixe gratis

Abração!
Grecco

La Comparsa Elétrica

“Na garupa da memória trago velos e capachos,
vem o sal do suor antigo na trança do barbicacho!
Trago as fichas das esquilas sonorizando o vazio
da memória das tesouras que já perderam o fio!

Trago o passado a cabresto, mas sigo olhando pra frente,
o tempo nunca desbota o que é marcado na gente!
Assim, à velha comparsa, somou-se mais energia…
Com outro sabor, agora, ainda clareia o dia!

Outro sabor eu lhes trago no ofício de esquilador…
Não esqueço de onde venho, Don Telmo é meu professor!
Minha comparsa é de agora, vai seguir onde eu me for,
tosando a lã dos meus dias, sempre com outro sabor!

Vou esquilando lembranças que o tempo deve cardar…
Outro sabor de querência encanta o meu paladar!
Embora o fio das navalhas seja tocado a motor,
ainda é igual ao velo a alma do esquilador!

Quando a suarda vem pesada, não é com pouca garoa
que uma esquila perde preço, e assim é qualquer pessoa!
Antiga ou nova, o que importa é que ela seja parelha,
qualquer tesoura me serve quando não corta as ovelhas!”

(Rodrigo Bauer)

Respeitável Público !!!
Apresentamos a nova identidade visual da Comparsa Elétrica.

Essa marca acompanhará a Comparsa por onde ela passar daqui pra frente. Muchas gracias ao talento do artista e amigo Felipe Constant, que colocou seu traço no papel para sintetizar a identidade da banda.

Vem aí #ComparsaElétricaOFilme
Adelante Comparsa!