Os Platinos

Já tive algumas canções Coreografadas nas Invernadas por esse Brasil afora e sou muito grato aos Professores e Instrutores que levaram nosso som cada vez mais longe.

Esse ano estou tendo o privilégio de acompanhar o processo criativo do CTG Patrulha do Oeste para o ENART 2015 que, a partir do Contexto criado pelo amigo Henrique Denarde, poetizado pelo parceiro e conterrâneo Carlos Omar Vilella Gomes, me tocou a tarefa de compor a melodia para que Os Platinos bailem em novembro em Santa Cruz do Sul. Estendo meu abraço e Gratidão a cada Bailarino, ao Professor Juliano Denarde pela amizade e oportunidades, ao coreógrafo Adriano De Bem, ao Bruno Mello e Equipe La Omerta Películas e ao Payador Pedro Junior da Fontoura que integra nosso Time.

Abaixo, um Vídeo/Teaser que reuniu uma Gurizada Amiga e Talentosa além de nos proporcionar um domingo de pura Tradição no Imbaa, distrito de Uruguaiana:


OS VENTOS DA REVOLUÇÃO

Quando deram oh de casa aquela tarde
Meu olhar de rio-grandense relampeou;
Outra vez a mão pesada dos covardes
Martelava seu poder mais opressor.

Meus valores são família e liberdade,
Sou apenas mais um homem da campina;
Que de novo empunhou armas e verdades,
Feito a saga das missões da Cisplatina!

Os matizes do futuro me guiavam,
Novamente fui lutar por honra e chão;
Nosso palas, qual bandeiras, desfraldavam,
Cavalgando os ventos da revolução!

As espadas, sem ter paz, logo alumiavam
Na fogueira das contendas e milícias;
Refletindo as almas livres que voavam,
Retumbando o coração desta província!

Foram anos do mais osco dos dialetos,
Assombrando os espíritos da terra;
A República rugiu na voz de Netto
E o que era rebelião tornou-se guerra!

Nessa história voei céus de sangue e carne,
Eu matei, quase morri, quebrei as asas;
Mesmo troncho rapinei esses covardes
Mas por ordem superior voltei pra casa.

Ao chegar mirei a luz da minha amada
Que sofrida, me esperava de alma inteira,
Mas o meu filho varão pegou as armas
E partiu pra defender nossa bandeira!

O meu filho vai pelear de peito aberto,
Que a coragem vence lâmina e cartucho;
O meu filho vai me honrar, fazer o certo,
Sem fugir, ou não me chamo Biratuxo!



Ubirajara Raffo Constant, (por F. Constant)
Artista Uruguaianense, autor de “Retorno Bravo“, “Pampa em 23“,
dentre outros importantes Títulos da literatura Gaúcha e Mundial.
#BiraTuxo #Mocito #Akadimia #NósSempreAmigos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s